Como as grandes empresas podem inovar com startups?

Todas grandes empresas querem ser inovadoras. Mas consolida-se como verdade, um mito de que inovação é exclusividade de startups que são empresas ágeis, ousadas, sem paradigmas, prontas para o novo. Será que é possível replicar o contexto das startups nas grandes empresas? Antes disso, seria essa a melhor forma de transformar grandes empresas em inovadores seriais? Gostaria de abordar nesse post essas reflexões.

Nenhuma empresa dispõe de todos os conhecimentos necessários para solucionar seus desafios de negócios. Mesmo aquelas com altíssimo investimento em Pesquisa e Desenvolvimento aprenderam que podem potencializar seus resultados inovando além de suas estruturas. Inovar com agentes externos se tornou uma das principais estratégias de inovação para melhorar resultados, reduzir riscos e custos.

A inovação aberta transformou organizações e indústrias ao considerar que as empresas podem usar ideias externas para seus problemas internos bem como buscar caminhos externos para rentabilizar suas ideias.

Na Innoscience realizamos projetos de inovação aberta para vários clientes. Com a Zoetis, ex-Pfizer Saúde Animal, desenvolvemos um programa baseado na web para colaboração entre a empresa e veterinários selecionados. Assessorando a Coca-Cola realizamos um projeto denominado Abra Ideias, que conectou a empresa com seus consumidores. Em parceria com o Boticário, envolvemos as consultoras de loja dos fraqueados para inovar. Em conjunto com uma grande construtora, colaboramos com estudantes de graduação, mestrado e doutorado para gerar novas ideias para um processo interno. Clientes, parceiros e universidade são fontes atraentes para inovação aberta mas não são as únicas.

Grandes Empresas x Startups
Também temos tido a oportunidade de trabalhar com parques tecnológicos, incubadoras e, por consequência, startups. As startups não são cópias de menor porte das grandes empresas. Como disse Eric Ries, ‘‘Startup é uma instituição humana desenhada para entregar um novo produto e serviço em condições de extrema incerteza”. O foco da startup é descobrir um modelo de negócio que a viabilize. Já a grande empresa é, conforme nossa própria definição, ‘‘Grande empresa é uma organização desenhada para operar eficiente e lucrativamente um modelo de negócios vigente.’’

A má notícia é que as grandes empresas não irão se transformar em startups. Nem devem tentar. Esqueça essa ideia. Elas podem, contudo, aproveitar as startups para apoiar suas iniciativas de inovação.

A boa notícia é que cresce exponencialmente o ecossistema de empreendedorismo no Brasil e que grandes empresas tem necessidades que podem ser atendidas pelas startups e vice versa.

Grandes empresas querem… Startups querem…
-Acesso a novos conhecimentos e tecnologias; -Acesso a recursos valiosos;
-Redução do risco de inovar; -Conexão com relacionamentos estratégicos;
-Diminuição do tempo de desenvolvimento -Alavanca para suas tecnologias
-Nova mentalidade -Experiência de gestão
-Capital financeiro

Tendo trabalhado com grandes empresas e startups desenvolvemos um método para fazer com que grandes empresas possam aproveitar as startups em seus processos de inovação. Empresas como Samsung, Natura, Braskem, Tecnisa, Coca-Cola, entre outras têm percorrido com êxito esse caminho.

O método IAst – inovação aberta com startups é um roteiro para quem quer colaborar com startups.

metodo-iast

Estabeleça o Direcionamento Estratégico
Defina com clareza qual o desafio, problema ou oportunidade você quer resolver. O uso de uma nova tecnologia? Novos produtos para um mercado emergente? A solução de um problema no processo produtivo? Dessa forma você irá guiar o processo de busca de soluções de forma mais eficaz.

Realize o Planejamento da Execução
Com o tema definido é hora de estruturar os mecanismos de atração, filtro, funding, e tipo de negócio que você quer estabelecer com as startups. A Tecnisa realiza Fast Datings periódicos para que as startups se apresentem em pitchs de 15min.

Faça o Screening Estratégico
O screening consiste em uma ação proativa ou receptiva de identificação de potenciais startups que possam resolver o problema ou oportunidade priorizado. A XP investimentos utilizou a plataforma Startse para se conectar ativamente com os empreendedores.

Proceda o Filtro de Oportunidades
A identificação deve ser seguida do filtro daquelas que tem maior encaixe estratégico com a empresa e o problema definido. Para tanto é preciso preparar as startups para essa interação com a grande empresa e estabelecer os critérios de análise que possibilitarão essa priorização. Essa análise envolve aspectos mercadológicos, tecnológicos, financeiros e gerenciais. Algumas empresas realizam Demo Days (dias destinados a que as startups façam o pitch – apresentação – de suas soluções).

Desenvolva a Aceleração de modelo de negócio
Selecionada a startup a ser objeto de negócio é hora de desenhar a primeira fase do negócio que, muitas vezes, envolve um processo de aceleração das startups no qual executivos da grande empresa definem um horizonte de tempo no qual colaborarão para desenvolver a oportunidade da startup. Essa fase também serve como um namoro entre as partes antes que ocorra um casamento.

Integre as novas oportunidades ao negócio central da empresa
Quando a fase de aceleração é exitosa, o próximo passo é definir o negócio propriamente dito. Isso começa com a avaliação dos resultados da aceleração, a formalização de uma transação e a definição de como a grande empresa irá conectar a startup ao seu negócio e fazer a governança da mesma. O Facebook, por exemplo, preferiu manter o WhatsApp  em separado com total autonomia.

A nossa experiência indica que não é oportuno tentar replicar o contexto das startups nas grandes empresas. Melhor do que isso, a grande empresa pode colaborar com startups em processos de inovação aberta e ter a acesso a recursos valiosos. Por outro lado, as startups podem se alavancar com os recursos de grandes empresas e aumentar a chance de sucesso de sua nova ideia que sozinha tende a ter probabilidade bastante baixa.

Até a próximo inovação

Maximiliano Selistre Carlomagno

Quer saber mais sobre o tema? Assista a um webinar  gratuito que realizamos sobre inovação aberta com startups e veja a apresentação completa.

Artigo originalmente publicado no Blog Mundo dos Negócios

Anúncios

2 comentários sobre “Como as grandes empresas podem inovar com startups?

  1. Grandes empresas podem e devem buscar a inovação de forma seriada uma vez que o ato de inovar possibilita apresentar ao seu consumidor sempre um produto melhor, mas alinhado com as necessidades atuais e que buscam saciar o desejo ainda não identificado. Inovando, a empresa constrõe seu pavimento para o futuro.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s