As 9 meias verdades que todo inovador deve evitar

O ecossistema de startups nacional está em franco crescimento. Claro que ainda tem muito para evoluir, mas nunca esteve tão vigoroso. Há movimentos de universidades, empreendedores, órgãos de fomento, investidores de risco (ou perto disso) e imprensa especializada. Participei, recentemente, do WOW Day, dia no qual os empreendedores apresentam suas startups aos investidores da aceleradora WOW. Entrei como investidor na WOW para aprofundar minha conexão com o ecossistema de startups, já que nos últimos anos tivemos mais contato com inovação corporativa em grandes empresas por meio da Innoscience. Preciso fazer uma confissão: os aprendizados com as startups têm sido muito úteis. Voltando ao WOW Day, esses rounds de apresentação e seleção no qual os empreendedores fazem os Pitchs, e os investidores realizam perguntas e depois deliberam em quem investir, permite uma série de insights. Lembra um pouco o reality show Shark Tank que se popularizou na televisão americana com o megainvestidor Mark Cuban e outras estrelas. Nesse último WOW Day avaliamos 10 empresas para selecionar quatro a serem aceleradas por meio de investimento e gestão, em troca de participação societária. Mais relevante do que as empresas selecionadas foram os aprendizados desse sábado de trabalho. Voltei para casa ao fim de tarde para ficar com minha filha pequena de 7 meses e, enquanto ela dormia, consolidmeia verdadeei as meias verdades que os empreendedores repetem continuamente e que devem, a todo custo, evitar.

1) O cliente pensa como eu: Nunca se esqueça que qualidade é um termo relativo. O que é atributo importante para você não é para todo mundo. Ou há um grande número de pessoas que pensa exatamente como você ou basear seu negócio nas suas próprias preferências pode ser uma catástrofe.

2) Não temos concorrentes nesse mercado: É bem possível que não haja uma empresa igual a sua, que faz exatamente o que você quer fazer, mas isso não quer dizer que não existam concorrentes. Todas aquelas soluções alternativas que tem condições de resolver o problema do cliente que você se predispõe a resolver são substitutos que não podem ser subestimados.

3) Eu vou lançar o produto e os clientes aparecerão: Seu negócio precisa de um mecanismo de geração de audiência, interessados e conversão destes em clientes que funcione. Acreditar que porque seus amigos compararão, todos os demais também seguirão essa lógica, pode ser tão danoso quanto aquela pessoa que monta um bar e espera mante-lo com a presença dos amigos.

ebook-inovacao

4) Nossa solução é muito diferente das outras: Ou o cliente pensa dessa forma ou esqueça. É muito natural que vejamos diferenciais na nossa solução. Mas se aquele botão, aquela garantia estendida, suporte adicional ou capacidade de processamento mais rápida de sua ideia não forem assim reconhecidas pelo cliente ou não gerarem uma significativa vantagem de custo para você, não serão nada mais do que supérfluos.

5) A barreira tecnológica é alta e difícil de imitar: Esse é um ponto interessante. Tudo aquilo que fazemos é super difícil de copiar e o que é feito pelos outros normalmente parece bastante fácil de imitar. Não esqueça que há gente muito preparada por ai, com condições de fazer o que você pretende fazer e, se ninguém ainda fez, pode haver alguma razão para isso.

6) Meu negócio vai ganhar escala e tudo vai ficar bem: Na realidade ao ganhar escala é que as coisas complicam e muito. Analisei dezenas de planos de negócios que projetavam ganhos de margem em função de maior eficiência por ganho de escala que acabaram se transformando em pesadelo ao verificar que a medida que seu negócio cresce, a complexidade gerencial aumenta exponencialmente.

7) Meu modelo de negócio é baseado em publicidade: Sempre que questiono um inovador sobre como a nova ideia irá gerar novos fluxos de caixa positivo e a resposta é que  o modelo de negócio será baseado em publicidade ou na venda de inteligência oriunda das informações de comportamento de consumo dos clientes (big data), acendo uma luz vermelha. São raros os casos de sucesso desse formato e, na maioria das vezes, isso esconde uma ausência de modelo.

8) Nós vamos vencer porque temos mais features do que os concorrentes: Os clientes não querem mais um canivete suíço. Claro que há características matadoras. Mas pendurar mais features impacta na complexidade de produção e desenvolvimento e pode piorar a função básica do produto/serviço que é resolver com maestria, melhor do que as alternativas existentes, um problema relevante e frequente de um grupo de consumidores.

9) Eu e meu sócio somos amigos, por isso, tudo vai dar certo: As pesquisas dos meus amigos do MIT sobre o tema desconfirmam essa tese. Amigos que já tenham trabalhado, fracassado e acertado juntos, têm maior chance de êxito mas amigos montando o primeiro negócio tendem a ter baixas taxas de sucesso em novos negócios.

Empreender um novo negócio não é uma tarefa fácil. Fica mais difícil se acreditarmos em meias verdades que servem para nos dar uma falsa sensação de segurança. Os aprendizados aqui apresentados podem servir de roteiro objetivo para avaliar a sua ideia e aumentar suas chances de sucesso!

Até a próxima inovação.

Maximiliano Carlomagno

Artigo originalmente publicado no Blog Mundo dos Negócios.

Anúncios

2 comentários sobre “As 9 meias verdades que todo inovador deve evitar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s