Os 5 papéis do Chief Innovation Officer

Em cada novo projeto de consultoria aprendo um novo glossário. Na hotelaria, o Revpar.No setor de call center o Churn. Na área de software os Leads. No setor financeiro a palavra-chave é o Spread. Com as empresas de internet o Pay Per Click é um dos termos mais citados. A área de inovação com a qual lido diariamente, também tem seu glossário. São expressões e conceitos como pipeline, portifólio, stage-gates, inovação disruptiva, lean startup, modelo de negócio. Especialmente em grandes empresas, nasce uma nova sigla, o CIO – Chief Innovation Officer.

É realmente necessário um novo cargo para potencializar a inovação nas grandes empresas? Quais os papéis principais de um CIO? Essas são algumas perguntas importantes a serem feita. Em primeiro lugar é relevante considerar que a inovação nas grandes empresas apresenta enormes desafios. Fazer uma empresa de grande porte, reconhecida por suas marcas, produtos e serviços abordar a inovação de forma gerenciada e sistemática com bons resultados não é nada fácil.

cio1A estatura na hierarquia e a nomenclatura da posição responsável pela inovação vai depender do porte e da cultura da organização. O primeiro passo é ter a clareza do que são as responsabilidades mais críticas para essa posição. É uma posição recente e, cada vez mais procurada nas organizações, especialmente em setores dependentes de inovação como pode ser identificado pelos resultados de pesquisa da CapGemini com 260 organizações de grande porte nos EUA e Europa. Nela, mais de 43% das empresas pesquisadas informaram ter um CIO ou similar contra 33% no ano anterior. Percebe-se crescimento da adoção da posição em grandes empresas.

Tivemos o privilégio de trabalhar, lado a lado, com gestores de inovação em setores mais técnicos como farmacêutico e saúde. Tecnológicos como telefonia celular e software. Indústrias de ciclos curtos de produto como bens de consumo. Regulamentados como saúde e financeiro.

O CIO é o responsável por gerenciar de forma estratégica e sistemática a inovação. Ele não é o cara do P&D. Nem o de marketing. Menos ainda o de produto ou tecnologia. É alguém com visão estratégica, sensibilidade organizacional, paixão por mudança, base financeira e entendimento do consumidor. É um agente multidisciplinar que direciona, articula e gerencia as atividades exigidas para dar eficácia a gestão da inovação na empresa.

A partir de pesquisa e prática na área de gestão da inovação, elencamos os 5 principais papéis do CIO.

  1. Definir prioridades e arenas: A primeira responsabilidade do principal executivo de inovação é estabelecer o direcionamento estratégico:
    1. o que é inovação para a empresa,
    2. quais as razões que a mobilizam para tanto e
    3. onde pretende inovar.

Não há como obter retorno eficiente de iniciativas inovadoras sem ter clareza de qual seu propósito, escopo, foco e portifolio esperado. Os melhores inovadores selecionam estrategicamente temas e desafios para guiar a busca de inovações de modo a conectar a inovação com a estratégia de negócios. O CIO deve organizar essa reflexão com o CEO e executivos das unidades de negócios e direcionar a busca de inovação. Em se tratando de projetos inovadores não há como ser superficial em campos e possibilidades absolutamente distintas e incertas, ao mesmo tempo, com bons resultados.

  1. Difundir a cultura de inovação: A segunda responsabilidade trata da difusão dos comportamentos que suportam a inovação junto as lideranças da organização. A inovação é um fenômeno organizacional e, para tanto, há que se incutir na cultura a ideia de estar em contato com os clientes, ousar, lidar de forma inteligente com os erros, facilitar a colaboração e transformar as ideias em projetos executáveis. Isso só ocorre com exemplo e ações concretas. Não com discursos. O CIO é o principal sponsor desses comportamentos promovendo e reconhecendo tais atitudes.
  1. Garantir funding adequado para fomento e projetos: Um dos gargalos do desenvolvimento de inovações reside na ausência de recursos para fomentar a cultura e executar os projetos. Os projetos inovadores tendem a, inadequadamente, seguir o mesmo fluxo de análise estratégica, financeira e mercadológica das oportunidades existentes o que reduz a propensão a serem priorizados. É responsabilidade do CIO gerenciar um orçamento de inovação e a articulação de alternativas externas que permitam a empresa se alavancar sem que tenha que aportar o caixa da operação existente. Incentivos fiscais, editais de fomento, linhas de crédito subsidiadas e o uso de recursos de clientes e parceiros são algumas das fontes que os mais inovadores tem aplicado para suplantar o desafio de funding.
  1. Estabelecer técnicas, ferramentas e melhores práticas: A inovação exige uma linguagem, instrumentos e formas de trabalho que tem que ser compartilhadas adequadamente com as pessoas da organização. Ideação, análise de potencial, desenvolvimento de innovation business plans. O CIO deve alinhar um glossário, validar um conjunto de instrumentos, procedimentos e estruturas que permitam aos envolvidos contribuírem com as oportunidades de inovação.
  1. Dar suporte para projetos de ruptura: Um dos maiores desafios das grandes empresas é estar sensível a projetos que rompam com o core business e que lidem com oportunidades em novos mercados. É papel do CIO garantir atenção organizacional acima dos interesses das unidades de negócios. O CIO precisa estabelecer o processo de análise, avaliação e desenvolvimento que tais oportunidades de forma que considere as incertezas inerentes as mesmas e não os padrões existentes para operações correntes.

Se você é empreendedor de uma startup, na realidade, o seu trabalho é ser um CIO porque a inovação é a estratégia. A própria razão da existência da sua empresa é a de transformar uma ideia em uma empresa, por meio de uma inovação.

Por outro lado, se você trabalha em grandes empresas, sabe como funciona o foco na operação atual e no fortalecimento do core business. Para essas circunstâncias, o CIO é um agente fundamental dentro de um sistema de inovação que precisa funcionar, sistematicamente, de acordo com o objetivo estratégico da organização para com a inovação.

E, se você é um gestor da inovação, CIO ou não, esse conjunto de responsabilidades pode ser um roteiro para se autoavaliar e também para organizar o seu trabalho.

Até a próxima inovação

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s